PUBLICIDADE

Topo

O Brasil também é o país do futebol virtual. E sobram craques no FIFA!

Leo Bianchi

14/02/2020 09h00

Wendel Lira venceu o Prêmio Puskas da FIFA (gol mais bonito) em 2015 quando jogava pelo Goianesia-GO. Ele trocou os campos pelo controle. Hoje ele atua pelo Sporting de Portugal jogando FIFA, o game

No futebol profissional do Brasil, é um movimento quase "automático": se o jogador se destaca em território nacional, entra na mira de clubes europeus e dificilmente permanece no país. E no futebol virtual, como funciona? Você sabia que há diversos profissionais de FIFA ligados a times estrangeiros? Trata-se de um mercado cada vez maior para aqueles que querem viver de fazer gols com os controles em mãos.

Wendell Lira no Sporting, de Portugal. Ébio "Ebinho" e Flávio "Fifilza" no Wolverhampton, da Inglaterra. Miguel "SpiderKong" na Roma, da Itália. Henrique "Zezinho" no Benfica, de Portugal. Paulo Neto no Atlanta United, dos Estados Unidos. Victor "Tore" no Ajax, da Holanda. Matheus Longaray no Club Brugge, da Bélgica. Temos praticamente uma Champions League de jogadores de FIFA por aqui!

Depois de passagem pelo PSG, o brasileiro Rafael Rafifa retornou para uma equipe brasileira

Essa movimentação teve início com a contratação de Rafael "Rafifa" pelo Paris Saint-Germain, em março de 2017. Hoje ligado à Netshoes Esports, o jogador serviu como expoente para um país ainda carente de um cenário competitivo bem estruturado de FIFA. Ironia do destino: o Brasil produz tanto jogadores bons no game, mas eles precisam brilhar fora dos nossos limites territoriais.

O anúncio da KOEL (Kick-Off Electronic League), competição de FIFA lançada neste início de ano pela TTB, agência de branded content, pode ser um alento neste sentido. Além de alguns representantes dos clubes europeus citados acima, o torneio terá a presença de Cruzeiro e Athlético-PR, além de organizações tradicionais do esporte eletrônico brasileiro, como a Black Dragons e a R10 Team – esta, pertencente a Ronaldinho Gaúcho.

Ronaldinho Gaúcho investiu num time próprio de FIFA 20. Os brasileiros Ettore "Abrucio", Gabriel "GabrielPN", Klinger Castro e Rodrigo "RodrigVTP" representam a organização do brasileiro eleito o melhor jogador de futebol do mundo pela FIFA em 2004 e 2005

O futebol virtual tem um terreno já "adubado" para o crescimento. O brasileiro ama o esporte em todas as suas vertentes – seja para assistir ao seu clube do coração, jogar videogame, botão, na rua… Não se trata de um público difícil de conquistar ou de uma modalidade que demande uma alta curva de aprendizado, como outros games. É fácil e está ao nosso alcance, basta fomentar e investir.

A entrada da Libertadores no FIFA, que acontecerá em março, deve ajudar neste sentido. O anúncio já deu a letra: "Você poderá jogar com clubes do Uruguai, Peru, Paraguai, Equador, Brasil, Argentina e mais, com os melhores do futebol da América do Sul". E ainda haverá a eLibertadores, o que estimulará o surgimento de novos players. Se é futebol e tem Brasil, amigo, já sabe… Tem que respeitar!

Sobre o Autor

Leo Bianchi é jornalista, já foi repórter e apresentador do Globo Esporte. É apaixonado por competição e já cobriu Copa do Mundo, Fórmula 1, UFC e mundiais de CSGO, R6, FIFA, Just Dance e Free Fire. Também é youtuber e Pro Player frustrado.

Sobre o Blog

No GGWP você encontra análise dos cenários competitivos no Brasil e no mundo, além dos bastidores do universo envolvendo times, pro-players e novidades em geral.

GGWP