PUBLICIDADE

Topo

SonicFox: o Jon Jones dos eSports luta pela causa da igualdade

Leo Bianchi

26/03/2020 13h55

SonicFox venceu 5 vezes a EVO (maior torneio de fighting games do mundo) e já faturou perto de US$ 700 mil em premiação. Já foi eleito, inclusive, o melhor jogador de esporte eletrônico do planeta em 2018

Os esportes eletrônicos nos proporcionam histórias das mais diversas em relação à trajetória dos jogadores. Alguns que entraram no meio por pura curiosidade, outros por necessidade, às vezes influência familiar… Uma das caminhadas mais interessantes em todo o cenário mundial é a de Dominique McLean, um jovem de 22 anos de quem você provavelmente, no mínimo, já ouviu falar, mas por outra alcunha: a de SonicFox.

Como uma espécie de "Jon Jones dos eSports", ele coleciona títulos: foi cinco vezes campeão da EVO, o maior evento de fighting games do planeta: venceu no Injustice em 2014, no Mortal Kombat X em 2015 e 2016, no DragonBall FighterZ em 2018 e no Mortal Kombat 11 em 2019. Ganhou também a Injustice 2 Pro Series em 2017 e 2018. Foi campeão mundial de MK11 no início de março de 2020. É um devorador de títulos.

Não bastasse a incrível versatilidade com os títulos dos jogos de luta, nos quais ainda transita em outros títulos, como Street Fighter, Soulcalibur, Marvel vs Capcom e Tekken, SonicFox fez história pelos posicionamentos sem o controle nas mãos. O americano, que é negro, gay e furry (adepto de uma cultura de criação de personagens animais com características antropomórficas), protagonizou um discurso épico ao vencer o prêmio de melhor atleta de eSports do ano, no Game Awards de 2018.

"Eu quero dar um recado aos meus amigos LGBTQ+ que sempre me ajudaram. Obviamente, eu sou um furry, então um alô para os furries também. O que eu posso dizer é que sou gay, negro, furry, praticamente tudo o que um republicano odeia, e o melhor jogador de eSports do ano", afirmou, entre risos, diante de centenas de pessoas no palco, arrancando uma estrondosa salva de palmas.

O posicionamento de SonicFox, que recentemente deixou a EchoFox e partiu para a Evil Geniuses, organização de grande renome no cenário de eSports, é mais do que fundamental em tempos atuais. Ele é a voz que muitos outros precisam encontrar como forma de apoio para dar os primeiros passos nos games. Nosso espaço é o mais democrático do mundo e não pode haver qualquer brecha para preconceito.

A construção de personagens nos quais os mais jovens se espelhem é necessária para que o ecossistema dos eSports se retroalimente. Diferentemente do futebol, no qual perdemos ídolos para a Europa muito cedo, no esporte eletrônico ainda temos a oportunidade de manter essas figuras por perto, atuando aqui dentro. Que tenhamos cada vez mais exemplos como SonicFox espalhados por aí!

Sobre o Autor

Leo Bianchi é jornalista, já foi repórter e apresentador do Globo Esporte. É apaixonado por competição e já cobriu Copa do Mundo, Fórmula 1, UFC e mundiais de CSGO, R6, FIFA, Just Dance e Free Fire. Também é youtuber e Pro Player frustrado.

Sobre o Blog

No GGWP você encontra análise dos cenários competitivos no Brasil e no mundo, além dos bastidores do universo envolvendo times, pro-players e novidades em geral.

GGWP