PUBLICIDADE

Topo

Histórico

O último CBLoL antes do sistema de franquia promete ser o mais acirrado

Leo Bianchi

05/06/2020 07h49

Última final presencial do CBLoL lotou a Arena da Barra no Rio de Janeiro em 2019. Na decisão do segundo split, o Flamengo venceu a INTZ (Divulgação/Riot Games)

Vai começar mais uma edição de um dos principais torneios de esportes eletrônicos do país. Neste sábado, dia 6 de junho, está de volta o CBLoL – Campeonato Brasileiro de League of Legends. Com dois gigantes do futebol nacional na disputa e diversas novidades, o split promete ser de muita expectativa, já que será o último antes da implantação do sistema de franquias pela Riot Games. Ou seja: um período de intensa movimentação nos bastidores.

A chegada do Santos, campeão do Circuito Desafiante, é mais um motivo para atrair o público do esporte tradicional para dar uma chance aos eSports. Obviamente, quem nunca teve contato com um MOBA terá uma dificuldade inicial de entender o League of Legends e precisará de uma carga de dedicação, mas sabemos que esse processo se torna muito mais amigável se quem está disputando ali na telinha é o seu clube de coração, independentemente da modalidade.

Do lado do Flamengo, teremos a oportunidade de observar a chegada de Bvoy, atirador sul-coreano contratado da Misfits – uma organização que disputou os playoffs da LEC, primeira divisão do cenário competitivo europeu. Buscar um jogador desse calibre para fazer dupla com o suporte Luci na rota inferior, complementando com a base de experiência de Goku e Ranger pode ajudar o Rubro-Negro a ir à sua quinta final consecutiva de CBLoL.

Outra organização que desperta atenção é a paiN Gaming, que passou por uma grande reformulação. Após a frustração com a dupla sul-coreana SeongHwan e Key, dispensada ao final da etapa passada, a equipe se remontou. Foi ao mercado para buscar o fortíssimo Robo para a rota do topo, além do suporte esA e dos caçadores Wiz e Cariok. Uma line up de respeito, que tem dois ex-parceiros de Felipe "brTT" – o maior campeão do cenário nacional, que busca seu sexto título.

Ver essa foto no Instagram

 

Ele chega pra tomar conta da nossa toplane e representar a #MelhorTorcidaDoMundo! Bem-vindo, @robolol1! #GOpaiN ❤️

Uma publicação compartilhada por paiN Gaming (@paingamingbr) em

Vale lembrar: quem levantar a taça do CBLoL representará o Brasil no Worlds 2020, a décima edição do Mundial de League of Legends, que acontecerá na China. Há muita expectativa em torno do torneio por conta das promessas da Riot, que promete um evento memorável não só pelos 10 anos do cenário do game, como pelo retorno ao país asiático que levou os dois últimos Mundiais, com Invictus Gaming (2018) e FunPlus Phoenix (2019).

Seguindo as recomendações de saúde por conta da pandemia do coronavírus, o CBLoL começará em formato online, mas a Riot já deixou claro que está preparada para fazer a transição para o presencial, de volta ao seu estúdio, destruído pelas enchentes em São Paulo no mês de fevereiro, quando possível. A cobertura segue, com as devidas adaptações para a imprensa em casa, e todos de olho no que as 21 rodadas reservam, em três turnos.

A transição para as franquias será um marco para o League of Legends brasileiro. Poderemos ver organizações que ainda não atuam no cenário competitivo brigando forte para expandir sua marca através do game, assim como uma evolução geral por uma "boa imagem" perante concorrentes. O investimento a longo prazo e um projeto estabelecido serão fundamentais para cada equipe, e essa corrida, definitivamente, já começou.

Sobre o Autor

Leo Bianchi é jornalista, já foi repórter e apresentador do Globo Esporte. É apaixonado por competição e já cobriu Copa do Mundo, Fórmula 1, UFC e mundiais de CSGO, R6, FIFA, Just Dance e Free Fire. Também é youtuber e Pro Player frustrado.

Sobre o Blog

No GGWP você encontra análise dos cenários competitivos no Brasil e no mundo, além dos bastidores do universo envolvendo times, pro-players e novidades em geral.