PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Tencent: A maior empresa do mundo dos games quer dominar o planeta

Leo Bianchi

15/07/2020 08h00

Games como Arena of Valor, sucesso na China, fazem parte do império da Tencent. A empresa apontou lucro de US$ 13,5 bilhões em 2019, com crescimento de 25% no mercado de games e eSports nos últimos três meses de 2019 (Foto: Zhang Peng/LightRocket via Getty Images)

Riot Games. Epic Games. Supercell. Activision Blizzard. Garena. Se você é fã de eSports, certamente já ouviu todos esses nomes no dia a dia. Além de serem responsáveis por diversos jogos com os quais convivemos e nos divertimos, elas têm um outro fator em comum por trás: a gigante chinesa chamada Tencent, uma holding multinacional responsável por investimentos bilionários no mercado de eSports e cada vez mais influente em todas as áreas que envolvem games.

Responsável pelo maior portal de serviços de internet da China, a Tencent passa cada vez mais a sensação de que está "dominando o mundo" –uma brincadeira recorrente entre os fãs de games. Não é à toa: a Riot, responsável pelo League of Legends, um dos jogos mais populares do planeta, tem o conglomerado chinês como detentor de 100% dos seus direitos. PC, console, mobile… Não há uma área na qual a empresa não esteja presente.

À parte de títulos que já são sucesso absoluto no mercado, como Clash Royale, Arena of Valor e Clash of Clans, por exemplo, a Tencent surpreendeu ao aparecer como uma das desenvolvedores do Pokémon Unite –MOBA baseado na franquia japonesa, que ficará disponível para dispositivos móveis, dotado de compatibilidade de plataformas com o Nintendo Switch. E esse anúncio passa diversas mensagens importantes para fãs, empresas e investidores.

Primeiramente: o mobile é uma realidade cada vez mais presente no cenário gamer. Jogar no celular é cada vez mais normal não só com fins de entretenimento, mas também competitivos. O fato de uma franquia do tamanho do Pokémon abrir suas portas para competir no gênero MOBA, e fechando uma parceria com a Tencent, mostra que ninguém está disposto a ficar fora de um mercado que só multiplica seus números e lucros.

No ano passado, a empresa apontou lucro de US$ 13,5 bilhões e assinalou um crescimento de 25% no mercado de games e eSports nos últimos três meses de 2019. O setor é parte fundamental do entretenimento e, nesse sentido, vemos a China como o que pode ser o futuro em diversas modalidades: diversos times de League of Legends que disputam a LPL, principal campeonato local do game, contam com estádios próprios para receber seus torcedores – um passo magnífico para afirmação perante modalidades tradicionais.

Se você joga Free Fire está consumindo um produto da Garena, que pertence a Tencent. Não tem pra onde correr…

O profissionalismo é indispensável para sucesso em qualquer área que envolva investimentos e, principalmente, competição em alto nível. O recado no fato de uma empresa do tamanho da Tencent ter os games e eSports como uma de suas prioridades absolutas e continuar estendendo seu campo de atuação é claro: quem ainda não foi impactado, direta ou indiretamente, por este setor certamente será.

A Tencent também é gigante no mercado de telecomunicações da China (Foto: Jason Lee/Reuters)

Sobre o Autor

Leo Bianchi é jornalista, já foi repórter e apresentador do Globo Esporte. É apaixonado por competição e já cobriu Copa do Mundo, Fórmula 1, UFC e mundiais de CSGO, R6, FIFA, Just Dance e Free Fire. Também é youtuber e Pro Player frustrado.

Sobre o Blog

No GGWP você encontra análise dos cenários competitivos no Brasil e no mundo, além dos bastidores do universo envolvendo times, pro-players e novidades em geral.