PUBLICIDADE

Topo

Histórico

De transmissão caseira para produção de TV: as super Lives dos gamers

Leo Bianchi

04/08/2020 15h00

Copa Nobru bateu recordes: no fim de semana passado atingiu mais de 340 mil pessoas simultaneamente

O Free Fire é um dos maiores exemplos do cenário competitivo de esportes eletrônicos sobre como a identificação de jogadores, influenciadores e da comunidade com o game são elementos fundamentais para firmar um alicerce forte perante à concorrência. Além disso, com números impressionantes em streams, vídeos produzidos e redes sociais em geral, o Battle Royale da Garena vai traçando um novo patamar de trabalho bem feito nos bastidores.

Campeão mundial de Free Fire pelo Corinthians e um dos melhores jogadores do planeta no game, Bruno "Nobru" aproveitou a pausa no calendário competitivo, que será retomado no fim de agosto, com a Série A da LBFF (Liga Brasileira de Free Fire) para criar um campeonato próprio. Com tudo o que pede uma competição de alto nível: identidade visual, estúdio bem montado, produção de conteúdo, distribuição de prêmios, parcerias comerciais…

Com direito a batalhas de rimas na abertura e um show prometido para o encerramento, a Copa Nobru distribuirá R$ 50 mil em premiações e terá sua final dentro da Arena Corinthians. O produto, bem pensado, gerou engajamento instantâneo, batendo números incríveis de transmissão na plataforma da Twitch, da qual o jogador alvinegro é parceiro. Uma fórmula de sucesso, aproveitando todas as formas de visibilidade, bem executada.

– Eu queria fazer algo que tivesse toda infraestrutura dos torneios oficiais para poder dar visibilidade para novos jogadores aparecerem e até, quem sabe, ter a mesma oportunidade que eu tive de ser descoberto. Também acho bacana trazer um pouco do que é a minha live, narrando e comentando as jogadas ao vivo, mudando um pouco de lado, saindo da pressão de estar jogando para curtir e interagir com o público – disse Nobru.

Já vimos diversos exemplos de como, embora streams pareçam um produto simples (afinal, basta uma câmera e um computador suficientemente estruturado para games), produções que pensam fora da caixa se destacam e dão resultado. Que o diga o americano Herschel "Dr Disrespect", que ficou conhecido justamente por dar contornos de acabamento dignos de emissoras de televisão às suas lives e traçou um novo panorama para companheiros de profissão.

No Brasil, Felipe "YoDa" chegou a executar um plano de talk show. Criou vinheta, quadros, dinâmica de interação com os espectadores… Com visão comercial e sempre dono de diversos projetos, que vão da caridade à criação de conteúdo em formatos diferenciados, o streamer uniu sua visibilidade e provou que profissionais de eSports, seja atuando em alto nível competitivo ou construindo entretenimento, têm uma vasta gama de possibilidades à sua frente.

Nesse contexto, o Free Fire parece ter entendido muito bem o poder de engajamento que seus influenciadores têm. Uma das maiores provas disso é a LOUD, que bateu um bilhão de visualizações no YouTube com seu trabalho bem estruturado de construção de marca. El Gato, por exemplo, fez uma live reunindo os principais influenciadores da Los Grandes na Nimo TV. Welington "El Racha", Hudson Amorim, Maumau e outros dançaram e lutaram num octogono que foi montado num estúdio profissional. A atração contou ainda com dançarinas, anões e um roteiro digno de tv.

A Garena tem aproveitado muito bem isso e explorado cada espaço para manter seu público entretido. Quando não são as competições oficiais, com os melhores times e jogadores do país, são eventos paralelos e divertidos, como a Treta dos Streamers, o Posse de Bala, as Freefíadas… Não há desculpa para o fã "escapar". Produção de conteúdo em alto nível, game popular, entretenimento… A fórmula não é mágica, mas é totalmente efetiva.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sobre o Autor

Leo Bianchi é jornalista, já foi repórter e apresentador do Globo Esporte. É apaixonado por competição e já cobriu Copa do Mundo, Fórmula 1, UFC e mundiais de CSGO, R6, FIFA, Just Dance e Free Fire. Também é youtuber e Pro Player frustrado.

Sobre o Blog

No GGWP você encontra análise dos cenários competitivos no Brasil e no mundo, além dos bastidores do universo envolvendo times, pro-players e novidades em geral.