PUBLICIDADE

Topo

Por que o fenômeno Fall Guys desafia a lógica da indústria gamer?!

Leo Bianchi

26/08/2020 09h00

Fall Guys se tornou rapidamente um sucesso e atingiu o primeiro lugar na Twitch entre os jogos mais assistidos na plataforma (Foto: Divulgação/PlayStation).

A chegada da nova geração de consoles, com o Playstation 5 e o Xbox Series X, aumenta um desafio que já é grande para as produtoras de games: afinal, o que leva um jogo ao sucesso? Gráficos que beiram a perfeição? Jogabilidade que combine desafios e recompensas na medida certa? Inteligência artificial? A prova de que não há qualquer fórmula exata para atingir o êxito atende pelo nome de Fall Guys: Ultimate Knockout, lançado no início deste mês.

Disponível para PC, via Steam, e grátis em agosto na PSN, serviço de assinatura do PlayStation, o jogo se tornou um fenômeno instantâneo de mídia. Desenvolvido pela Mediatonic e idealizado pelo estúdio Devolver Digital, o Battle Royale reúne 60 jogadores, em rodadas eliminatórias, com diferentes desafios – que incluem pontes, campo de futebol, obstáculos enormes… Tudo com uma temática colorida e descontraída. Sim, uma espécie de Olimpíadas do Faustão em formato de game.

Não foram necessárias sequer 24 horas para Fall Guys atingir mais de um milhão de jogadores. No início, inclusive, o jogo apresentou instabilidade no seu servidor por conta do excesso de usuários – aparentemente, não esperado pelos responsáveis. A fácil curva de aprendizado, combinada à diversão simbolizada pelos efeitos sonoros e pela experiência agradável, tornaram o jogo um atrativo para todas as faixas etárias e tipos de gamers – mais ou menos assíduos. Até mesmo um torneio do Twitch Rivals foi anunciado.

Como se não bastasse o sucesso casual, Fall Guys também se tornou o game mais assistido da Twitch na última semana – com mais de 30 milhões de horas assistidas, superando diversos outros esportes eletrônicos tradicionais na plataforma. O jogo atraiu a atenção de muitos profissionais do setor pela rapidez e fluidez das partidas – com a possibilidade de disputar partidas enquanto se aguarda em filas de outros games, por exemplo.

Dr Disrespect e Ninja são alguns dos streamers de enorme alcance mundial que rapidamente se encantaram com o game. Inclusive, Ninja entrou no páreo em uma iniciativa na qual Fall Guys pretende desenvolver uma skin temática através de leilão, direcionando o valor à caridade. À parte do entretenimento, o jogo conseguiu entender um papel social e se encaixar com todos os tipos de público – do FPS, do MOBA, do RPG, do Battle Royale…

A mensagem deixada pelo Fall Guys, além de transmitir como poucos títulos a principal função de qualquer game, que é divertir, é a de que tirar qualquer conclusão precipitada sobre o sucesso de um game com base em aspectos técnicos e teóricos é muito raso. É evidente que investimentos em gráficos e roteiros diferenciados geram frutos, mas há diversos outros fatores a serem considerados na concepção de um jogo.

Ao mesmo tempo em que os games podem ser educativos, ajudando a desenvolver a coordenação motora e os conceitos de estratégia e capacidade de adaptação, eles também podem ser um escape do dia a dia. se transformando em motivo de risada e descontração com os amigos. Ainda mais em tempos difíceis como os atuais, em meio à pandemia do coronavírus. Ponto para os bonequinhos coloridos!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sobre o Autor

Leo Bianchi é jornalista, já foi repórter e apresentador do Globo Esporte. É apaixonado por competição e já cobriu Copa do Mundo, Fórmula 1, UFC e mundiais de CSGO, R6, FIFA, Just Dance e Free Fire. Também é youtuber e Pro Player frustrado.

Sobre o Blog

No GGWP você encontra análise dos cenários competitivos no Brasil e no mundo, além dos bastidores do universo envolvendo times, pro-players e novidades em geral.